segunda-feira, 21 de março de 2011

Mais pastores se manifestam contra a decisão da CIEADEP

AD- Curitiba e a Sucessão Pastoral! (Manifesto)
Eleições na Assembleia de Deus em Curitiba -PR

Saudações Cristãs!

“Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que com simplicidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos vivido no mundo, e de modo particular convosco.” - II Cor. 1.12
A Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Curitiba, pessoa jurídica, autônoma e regida por seus estatutos e regimento interno está sob os olhares de milhares de crentes desta denominação no que se refere à sucessão pastoral. Isto, pois aprouve a Deus recolher ás mansões celestiais o seu Presidente Pastor Jose Pimentel de Carvalho, homem de Deus e que deixou um legado de conciliador, líder por vocação divina, moral ilibada e que sempre tratou o seu rebanho com uma postura digna de ser imitada!
Venho em nome da Assembleia de Deus de Apucarana-PR e seu ministério, na função de seu Pastor Presidente, manifestar o nosso descontentamento com o procedimento adotado pela mesa diretora de nossa Cieadep. (Convenção das Igrejas Evangélica das Assembleias de Deus no Estado do Paraná).

Entendemos que a manifestação de apoio, desta mesa diretora, a um único membro da mesma, seria cabível se este fosse o candidato “único”. Tal não procede nos termos dos Editais publicados pela IEADC em seus murais e site.
A Mesa Diretora poderia pronunciar-se, a nosso ver, se convidada por quem de direito. E só então emitir seu parecer sob o que está ocorrendo na AD- Curitibana. Isto não ocorreu!

A Mesa Diretora poderia emitir parecer (se convidada) e ainda desde que respeitasse decisão daquele ministério que escolheu e indicou, aceitando a candidatura de quatro de seus pastores. Estes escolhidos são membros da CIEADEP, e nesta, portadores de iguais direitos. Até este momento o site de nossa Cieadep apesar de ser órgão oficial da Convenção de Igrejas Assembleias de Deus no Paraná, declara apoio a um só pastor?

Minha preocupação, Senhores, repousa sobre: - onde está a isenção neste momento em que deveríamos estar clamando e buscando a Deus para que seja eleito aquele que esteja na sua vontade?
Quando declaro apoio a este ou aquele, é óbvio que estou interferindo ou tentando interferir na decisão dos “eleitores”.

O Partidarismo é um mal. Temo pelo futuro a que certas ações, tomadas no fervor de sentimentos vários e estranhos à lide ministerial, pode conduzir.

Diante do exposto, manifestamos o nosso descontentamento com a falta de coerência entre a teoria e a pratica pastoral demonstrada pela mesa diretora de nossa Magna Convenção
Lembramos que no pleito eleitoral secular, nos foram postadas fotos e perfis de pessoas que nem membros eram de nossas Igrejas, quanto mais da Convenção!

O que impede a Mesa Diretora proceder com isenção neste momento?

São quatro os Pastores da Assembleia de Deus em Curitiba que postulam o cargo de Pastor Presidente, todos são MEMBROS da Cieadep e em plena comunhão com a mesma.
Portanto, coerência! Sejamos lideres de verdade e busquemos o que interessa ao Reino de Deus, respeitando nossos companheiros (todos) de longa data.

Pelos laços do Calvário.
Pr. Daniel Sales Acioli

Presidente do Ministério das Assembleias de Deus em Apucarana PR

2 comentários:

MR. Silas disse...

E de se lamentar que pastores presidentes de outros campos se manifestem contra a decisão do Conselho de Transferencia da CIEADEP em dar apoio a candidato. O que pergunto e: Será que quando esses Presidentes estão em situação dificil ou necessitam mudar de campo, não é a CIEADEP que os atende numa transferência? Pelo que conheço a CIEADEP e Convenção das Igrejas e não de Ministros. O Estauto da IEADC artigo 80 diz que a Igreja é INTEGRADA a CGADB E A CIEADEP. Pelo que consta houve recentemente várias transferencias de Pastores Presidente que o Conselho fêz. Exemplo de Guaira para Umuarama.
O melhor é cada um cuidar do seu rebanho. Sou membro da CIEADEP e aprendi com Pastor Jósé Pimentl de Carvalho que, lembro-me, na elaboração do Estatuto da IEADC, exigiu que constasse o artigo 80, pois sempre respeitou tanto a CIEADEP como a CGADB e nos orientou assim.

Pastor Silas Barbosa e Silva
Membro do Conselho Eclesiástico
Membro do Corpo de Ministro
Vários cargos na CIEADEP

Pr.Daniel S Acioli disse...

Meu nobre Ev. Jairo!

Paz do Senhor!

Acredito que alguns pastores deveriam ler um bom dicionario e analisar o que significa a palavra CONVENÇÃO!

Para ajudá-los dou uma canja: (con.ven.ção)

sf.

1. Encontro, assembleia de pessoas, ger. representantes de instituições, empresas etc., que se reúnem para discutir assuntos de interesse comum; CONGRESSO; CONFERÊNCIA

2. Pol. Reunião dos membros de um partido político realizada com o propósito de escolha de candidatos ou de determinação da posição do partido frente a certos temas.

3. Conjunto de regras adotadas a partir de uma combinação ou acordo prévio: A convenção do condomínio proíbe festas na garagem.

4. O que é acatado por uso ou costume social em um grupo, comunidade ou sociedade

5. Aquilo que somente ganha sentido ou valor quando tem seu signficado previamente aceito por todos aos quais se dirige, e que portanto o interpretam da mesma maneira: O sinal vermelho é a convenção us. para indicar que se deve parar.

6. Técnica, prática ou recurso adotado por certa atividade ou por certo meio profissional: as convenções das notações musicais

7. Jur. Acordo entre duas ou mais partes referente a um fato específico

[Pl.: -ções.]

[F.: Do lat. conventio, onis.]


Isto posto o bom leitor saberá o que é respeitar os membros da Convenção!

Conheço profundamente o Estatuto e sei o que é mentoria e como aplica-la!


Mas tenho uma historia de lutas e sei o quanto custa trabalhar com visão de Reino de Deus!

Como diz um velho ditado: "Aos amigos tudo e aos contrarios: O Rigor da lei!"

Pr. daniel Sales acioli

Presidente do Ministerio da AD-Apucarana-PR.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...